terça-feira, 28 de maio de 2013

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

tu me tinhas no teu jarrinho de barro
mas não soubestes aguar ou colocar-me ao sol

quarta-feira, 19 de setembro de 2012


Não precisa falar.
Nem saber de mim.
E até pra morrer,
Você tem que existir.

Nasceram flores num canto de um quarto escuro. Mas eu te juro, são flores de um longo inverno.


(E até pra morrer você tem que existir)



sábado, 15 de setembro de 2012


Quando algo acaba, ele verdadeiramente acaba. E não adianta tentar que tudo volte ao que era por pura comodidade: não tem volta.
É certo que hiatos existem, mas o fim é inabalável. Tentar reconstruir do fim só trás um desabamento catastrófico para uma estrutura que já estava a definhar.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012


  • você é esforçado.
    você tenta, tenta, tenta.
    você não consegue nada.

    sempre tem alguém pra apontar pra você e dizer: você nunca vai conseguir. você é um fracasso.


    eu queria ter nascido de um ovo.

sábado, 8 de setembro de 2012



"You move through the room,
Like breathing was easy.
If someone believed me..."

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Where did I go wrong?
I lost a friend somewhere along in the bitterness.

domingo, 2 de setembro de 2012

hoje eu queria mesmo mandar flores para você.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Are you there? Are you there? Are you there? Are you there?

Are you there?

Are you there?


Are you there?





Are you there?



estamos todos sozinhos.

eu estou, tu estás, eu estive.
- leminski

domingo, 19 de agosto de 2012

nobody said it was easy...


*wicker park*



terça-feira, 14 de agosto de 2012

não-coloque-intensidade-onde-não-há-NADA

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Let it go. now is not the answer


quarta-feira, 25 de julho de 2012

sorr-ando
( : (

quinta-feira, 14 de junho de 2012

vai embora, junho

sábado, 12 de maio de 2012

deixe em paz meu coração

que ele é um pote até aqui de magoa.


(e qualquer desatenção,
faça não,
pode ser a gota d'água.)

terça-feira, 8 de maio de 2012

Existe apenas uma lei na vida:
Nada
 vai
 dar
 certo
 para
 você

domingo, 6 de maio de 2012


quinta-feira, 3 de maio de 2012

palavras cortam mais do que uma navalha

quarta-feira, 2 de maio de 2012



VAMOS BOTAR CHAPÉU DE BURRO NA CABEÇA DO REI?


Eu devo estar  ficando muito gordo, porque a cada dia que passa, sinto o mundo ficando mais apertado.

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Caiu a ficha da besteira que foi feita.
Caiu. E caiu em um longo abismo.
Vai espatifar toda quando tocar o chão.


Tinha uns sete ou oito anos quando ouviu a palavra pela primeira vez. Era uma quarta-feira ensolarada, e estava voltando da praia com a mãe e o pai. Fim de tarde, quase escurecendo. Uma garota perguntou se o ônibus iria passar pelo terminal, e a mãe respondeu que a próxima parada era o final da linha. Não entendeu aquela conversa e perguntou “Mãe, o que é terminal?” e ouviu-a dizer que terminal é o fim da linha. Quando o caminho acaba e o itinerário chega ao fim. Quando tudo acaba.








T e r m i n a l . 
T é r m i n o . 
T e r m i n o u .



em letras vermelhas, cor de sangue.


cor   de   dor.


“Fala pra ele que a vida é um balão. 
Para cuidar do seu coração. 
E chora...”.

sábado, 28 de abril de 2012


Eu te busco, mas quando chego à porta da sua casa, dou meia volta e vou embora para não atrapalhar o seu sono.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Sobre a vontade de cair no vazio e deixar-se dissolver

sábado, 7 de abril de 2012

Sobre pedir desculpas, quando não sabe o que fez de errado ou se fez algo, mas mesmo assim, sente que deve fazer isso.

segunda-feira, 2 de abril de 2012


segunda-feira, 26 de março de 2012






A primeira alegria do dia é uma fita do sol que se enrola na sua mão e acaricia meu ombro.

É o sopro do mar e a praia que o aguarda.
É o pássaro cantando sobre o ramo da figueira.


A primeira tristeza do dia é a porta que se fecha.

O carro que se vai.

O silêncio que se instala.


Mas logo você retorna, e minha vida volta a seu curso.

A última alegria do dia é a lâmpada que se apaga...

domingo, 25 de março de 2012

E acredite quando eu digo: seja feliz


Você nasceu pra ser espinho, e eu cicatriz

sábado, 24 de março de 2012


terça-feira, 20 de março de 2012

Do caso três ao um




Não sei. Michelle ainda está por aí, a viver algures. Às vezes, faço uma visita extra à estação na esperança de poder encontrá-la. Confesso que nunca tive a chance – seja sorte ou azar – de termos nossos caminhos cruzados, ou talvez a até tenha. Foi há tanto tempo atrás, que nem sei ao certo se existiu alguma garota do trem, se ela parecia como a Branca de Neve, ou era um sonho como a princesa dos contos de fadas. Caso a ultima hipótese for a verdadeira, ela foi o sonho mais real que me apeteceu.
Guardo com carinho e tristeza as derradeiras palavras dirigidas para mim. Rispidez nunca foi algo inédito ao nosso convívio, embora também não fosse corriqueiro. Descobrir falas e textos por outrem, mesmo que estivesse com o meu nome entre, não foi lá das mais agradáveis e passiveis sensações. Desceu amargo aos meus ouvidos quanto um uma dose de vodka pura, sem açúcar, refrigerante, suco, leite condensado, chocolate e todas essas outras coisas que dão sabor a vida. Bebi aquela história puramente, sem nada para fantasiar ou colorir o que realmente era. Senti pânico. Meu desejo era apenas ir de encontro ao chão e me posicionar de forma fetal. E era assim que eu encontrava-me: frágil como um feto.
Pelas manhãs, das poucas vezes que não tive que acordá-la porque iria chegar atrasada ao trabalho, ela me despertava com um beijo ao pé do ouvido e com uma xícara de café para mim. O café era terrível, mas o bom dia já valia a semana inteira. Então, eu colocava a xícara de lado, e ia de encontro aos seus lábios. Ela jogava aquele olhar de “O que você está fazendo? Não posso me atrasar hoje.” E como sempre, se atrasava.
 Até que um dia, depois de chegar da academia, estava cheia de caraminholas na cabeça. Falava só, e coisas sem sentido, como o “O destino do maquinista é o trem, e não a estação. Ele tem que vagar e vagar, e nunca parar. O tempo não dá pausas, não espera ninguém. Se você parar ou se perder em alguma estação, não importa o quão bom e tão cheia de lojas e acessórios ela seja, se for a estação errada, será apenas perda de tempo. Talvez no futuro, o maquinista volte a essa estação e seja o tempo certo para ela. Mas não era agora. Toda aquela parada era tempo jogado aos porcos, e o tempo só morre depois que a musica acaba. Senta, e escuta... A musica ainda está no ar.”
Para mim, aquela conversa era algo parvo, e não tinha nenhuma importância. Porém, no dia seguinte, Michelle saiu mais cedo do que o de costume, mas se deu ao trabalho de colocar um despertador e me acordar. Deixou um bilhete dizendo que sentia muito, mas aquilo não fazia mais sentido. Disse também, que voltava para vir me buscar e que nunca me deixaria ir.
Cá estou eu, ainda esperando que a minha garota do trem venha ao meu encontro, mesmo que ela nunca tenha tido vontade trocar ao menos um olhar. Talvez sentisse vergonha do que fez e causou. Talvez estivesse ocupada. Ou talvez, estivesse “nem aí”, mas eu não gostava de pensar nessa hipótese...  Enviou-me duas ou três cartas, contando o quão fixe era a sua jornada, e dizendo que tinha encontrado um novo rapaz. A partir de então, não quis mais saber a respeito, e não mantive contato. Que no caso, eu não o teria nem se o quisesse.
Sim, continuo aqui. Velho, com meus quase sessenta anos, cabelo grisalho, exilado de minha própria nação e família por desertar os direitos do homem moderno por esperar que uma princesa venha me resgatar.
Continuo aqui, a esperar. 

sábado, 10 de março de 2012

Ainda dói, não é, Oliver?

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

"E o amor sempre nessa toada:
Briga perdoa perdoa briga
Não se deve xingar a vida,
a gente vive e depois esquece.
Só o amor volta para brigar,
para perdoar."


Destruir um castelo de areia.
Construir outro, mais sólido, mais durável, mais elegante.
Destruir um castelo de areia.
Construir outro, mais sólido, mais durável, mais elegante.
Infinitamente.
"Espero que ninguém que esteja lendo esta história alguma vez na vida tenha sido tão infeliz quanto Lúcia e Susana naquela noite. Mas se você sabe o que é isso, se já passou a noite toda acordado e chorou até acabarem as lágrimas... Então sabe que, no fim, desce sobre a gente uma grande calma. Chegamos até a ter a sensação de que nada mais nos poderá acontecer."

p173
O termo "eu amo muito" é uma farsa.
O amor não é submisso a medidas. Do mesmo jeito que não é possível amar pouco ou pela metade, não é possível amar muito. O amor é um sentimento que te preenche e dá razão a toda a sua vil existência. (Lembra do dia que tu colocastes uma fatia do primeiro bolo feito por ti na boca? Esse momento agora vale a pena)
Aceitar que ele possa ser medido é dizer que ele tem tamanho e é limitado.

Não adianta chegar em uma terra mágica onde tudo é feito de chocolate e existir uma regra que diz que você só pode comer 30g durante toda a sua estadia.
Parece fácil te juro
Dizer adeus.



Viver no seu mundo
Ser mais seguro.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

so sad i could die

sábado, 21 de janeiro de 2012

Pra ser sincero, não espero de você mais do que educação, beijo sem paixão, crime sem castigo, aperto de mãos. Apenas bons amigos...

Pra ser sincero, não espero que você minta. 
Não se sinta capaz de enganar quem não engana a si mesmo...

Nós dois temos os mesmos defeitos. Sabemos tudo a nosso respeito. 
Somos suspeitos de um crime perfeito, mas crimes perfeitos não deixam suspeitos...

Pra ser sincero, não espero que você me perdoe por ter perdido a calma. 
Por ter vendido a alma ao diabo...

Um dia desse, num desses encontros casuais, talvez a gente se encontre.
Talvez a gente encontre explicação...
Talvez eu diga:
-Minha amiga, pra ser sincero, prazer em vê-la! Até mais...



sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

J'voudrais retrouver les mots qui t'filaient des frissons dans le dos, un peu de volupté serait pas de trop. Comme ça on pourrait faire comme si de rien n'était


Je t'aime encore parfois, mais j'ai plus l'coeur à ça.

sábado, 14 de janeiro de 2012


Quantas vezes a gente 
sobrevive à hora 
da verdade
?

domingo, 8 de janeiro de 2012






J'ai vu en rêve 


toi et moi...

sábado, 7 de janeiro de 2012




"Temos um amor de cinema, mas por favor, eu preciso de uma boate."

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Profundo nojo, Olie. 
É só isso  que eu tô sentindo por essa tua historia suja e marcada por frustrações e trapaças. O grande problema é: Por que você é sempre o magoado da situação? E por que você sempre deixa isso acontecer? Devo perguntar isso em inglês, francês, alemão, italiano ou russo para que tu possas compreender? 
É impressionante como falamos o mesmo idioma, mas aparentemente estamos em galaxias diferentes, com uma comunicação impossível de ser feita. O seu emprego naquela multinacional te dá um conforto financeiro maravilhoso, e mesmo assim, tu insistes em olhar para teu passado pobre onde mendigava por pedacinhos de pão com um queijo mofado. Mofado! 
Olha que tipo de coisa que tu comes hoje e se pergunte pra quê essa magoa no peito instalada e infeccionando tua mente.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

"Em 2011 eu me despedi dos caquinhos do meu coração. 
E sobrou tanto espaço que eu enchi de amor."

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Só eu sei o quanto dói aqui dentro.

E é uma dor sem motivo, tão falsa e irresponsável quanto um macaco que não sente segurança em estar uma ilha e precisa atravessar um oceano a nado, sendo que ele não sabe nadar, mas quer chegar ao outro lado para se sentir em terra firme.
Macaco burro, você vai morrer no percurso!

terça-feira, 27 de dezembro de 2011




:)

terça-feira, 20 de dezembro de 2011



Segundo o Priberam


mentira
(origem controversa)
s. f. 1. Ato de mentir. 2. Engano propositado. = FALSIDADE 3. História falsa. = PATRANHA, PETA, TANGA 4. Aquilo que engana ou ilude. = FANTASIA, ILUSÃO

mentir   v. intr. 1. Dizer o que não é verdade. 2. Dizer o que não se pensa. 3. Enganar. 4. [Figurado]  Falhar, malograr-se. 5. Faltar. 6. Não cumprir o prometido ou o que era de esperar.

Então, me diga: tem algo mais sujo e cruel do que uma mentira?