quinta-feira, 14 de abril de 2011

"O bondinho era dela, pra ela passear.  As estrelas eram dela, pra iluminá-la. A pracinha era dela, pra ela caminhar. O sorriso que ela abria era a coisa mais bela... As canções eram dela, pra ela cantar. O mundo se espremia pra vê-la na janela. As minhas palavras eram dela. E ela nem viu.
E ela nem viu.
E ela nem viu.
E ela nem viu.
As minhas palavras eram dela."