quarta-feira, 22 de junho de 2011

"Eu sei que era ele. Eu nunca amarei outra pessoa tanto assim.
Posso lidar com isso. Sei que é comum encontrar sua alma gêmea mais tarde, na vida. Para mim, foi péssimo, aconteceu agora, nos meus 25 anos. Não tem a ver com sexo. Não me importo com sexo. Isso não é o principal. O importante é, acordar com alguém, dormir de conchinha... Isso é o que importa, dormir de conchinha. Sabendo que, se surgir uma pessoa ruim, existe alguém ali.
Isso é uma metáfora. Os vilões nunca aparecem. Você acorda com o vento... com aquele que te ama respirando sobre seu ombro... É isso... a conchinha..."