quarta-feira, 30 de março de 2011

EU SÓ PRECISO DE UM MOTIVO!

É pedir demais?? Um motivo de nada.
Uma aceleração nas batidas do coração.
Daquela ansiedade descomunal.

Cadê?

terça-feira, 29 de março de 2011

Hey, slow it down.

WHATAYA WANT FROM ME??

estava a futricar um caderno antigo

E acabei por perceber um rabisco interessante.

"O MUNDO TÁ TODO ERRADO!" Era o que estava escrito.
Fiquei a pensar o quão sábio tinha escrito essa frase e nem pudera perceber isso antes. Vai ver o meu mundo tinha que fazer um loop de quilômetros para que fosse possível perceber isso.
"Nem lembra do que passou. 
É tanta cor ao redor. 
Recordação nem ficou. 
Ser feliz ela sabe de cor."




Se for pra correr, não importa a direção: que seja segurando a minha mão.

domingo, 27 de março de 2011

NR: Já me falaram que ela gosta de mim, só que ela nunca foi capaz de me falar isso. *risos* . E se nunca falar: pena.
AR: Alguém vai acabar falando isso antes dela.
NR: Pois é, e eu não 'tô afim de continuar gostando dela em vão.
AR: Que pena que não é assim que funciona.
NR: Pior que funciona. Dou duas semanas e esqueço ela!
AR: Comigo não funciona. Eu finjo que funciona, mas eu sei que não é verdade.

hoje eu vou pro lado de lá

quarta-feira, 23 de março de 2011

eu tô ficando com aquela sensação de que eu fui a pista e você o avião





Ahh, Home. 
Let me come home,
Home is wherever I'm with you.
Ahh Home. 
Let me go ho-oh-ome.
Home is wherever I'm with you.

uma verdade indiscutivel

Não gosto de gente culta.

Para mim, quem quer ser culto acha que tem o direito obrigatório de julgar todos os outros que aparentemente são inferiores.
Vou dar uma dica: Somos iguais. Tudo que você sabe, qualquer um pode saber.
- Fora! - Ela disse.
E assim, descobriu por conta própria como uma palavra de quatro letras tem mais peso do que um discurso de horas.

terça-feira, 15 de março de 2011

It's dangerous, I'm fallin'

Life goes on. Life goes on. Life goes on.

Já repeti tanto essa frase que acabo esquecendo o que realmente significa.

Bilhetes para o Oliver, parte I

Sabe Oliver, esse trem que embarquei fugiu dos trilhos. Foi um vire-para-esquerda-direita-esquerda-esquerda-direita e fiquei perdida no meio do nada. Ah, quem dera ter um mapa por aqui... Mas, vou ficar sem fazer nada e não vou deixar que me vampirizem.

Observar é mais divertido do que permitir que me suguem e se aproveitem das (poucas) boas intenções que tenho.

domingo, 13 de março de 2011

"Ela foi sem você e não volta mais. Nem olhou pra trás. Ela achou que você não fosse capaz de viver em paz. E todo esse tempo você não tem feito nada que possa mudar. E aquele momento se perdeu no tempo. Nada de bom pra lembrar. Ela disse que você não se satisfaz. Não consegue mais. Ela pensa em você, mas não gosta mais. Não aguenta mais."

sábado, 12 de março de 2011

eu tentei falar com você

Mas todo esforço deu em nada.
Por que?

quinta-feira, 10 de março de 2011

Na hora da canção em que eles dizem "baby"

eu não soube o que dizer...

quarta-feira, 9 de março de 2011

eu assisti aquele filme e tô embarcando por impulso

Acabo de assistir um filme que falava algo sobre casais quando estavam entrando na fase de deixar de ser um casal. Isso soou confuso, mas é realmente uma historia confusa.
O homem que ama intensamente, a mulher que idealiza o príncipe encantando com um cavalo branco e alado... Quando não é um, é outro. Quando ela encontra tudo o que sonhava em uma pessoa, ele não deseja ser tal personagem. Quando ele ama, ela não quer ser amada. E assim segue infinitamente...
E sobre aquela conversinha que ouvimos desde bebês? Aquela lá, que dizia que o amor supera tudo, que enfrenta barreiras, e que nada se compara com a magnitude do verdadeiro amor...
Não quero parecer extremamente cético, mas conheço algumas pessoas e nenhuma vivenciou algo de tamanha nobreza. Então me debato contra o travesseiro e fico a pensar o que acontece com essas pessoas que se namoram, pixam muros com "Eu te amo, Victoria. Não solta a minha mão!" e outras frases demasiadamente amorosas, casam, têm lindos filhos, e por conseguinte, desejam arduamente se matar. Por que isso acontece? É só medo de ficar só? Ou esse amor seria um motivo para querer viver e depois morrer?
Infelizmente, meu travesseiro nunca me deu as respostas. Só acrescenta perguntas.

E quando a lacuna for embora, o que vai acontecer: terá vácuo, ou respostas?

Baby

did you forget to take your meds?